Qual o valor da marca para uma empresa?

Por que investir nisso? Faz diferença?

Hoje existem diversos sites que oferecem concorrência entre freelancers para a criação de marcas. Por um preço bem baixo você recebe várias opções, e pode escolher a que gostar mais. Certo?

ERRADO. Muito errado. Vamos começar do início, entendendo o que é uma marca.

Uma marca não é um desenho bonitinho, temático. Ela deve representar o valor do seu negócio, ser original, trazer uma carga de significado objetivo e subjetivo. Algo mais profundo e duradouro, marcante e que destaque sua empresa da concorrência.

Para realizar este trabalho de criação, é necessário um aprofundamento no negócio, conhecer o propósito (verdadeiro – veja o post anterior que escrevi sobre isso), a missão, os valores. Estudar a concorrência, entender o mercado, personificar o público alvo do negócio. É necessário metodologia, experiência e sensibilidade. A marca deve gerar orgulho em quem a carrega e agregar valor ao produto ou serviço. Uma marca bem elaborada é o primeiro passo para uma estratégia de marketing bem sucedida. Ali tudo se inicia, pois ela valoriza os principais conceitos da empresa, que serão trabalhados pelo marketing.

Além do design da marca em si, o trabalho vai muito além: a construção do universo da marca. Como ela será utilizada, os elementos de apoio, cores, e demais itens que irão compor o ambiente visual da marca e enfatizar os valores daquele produto ou serviço.

Vejamos um exemplo: a Apple

O símbolo incorpora toda a genialidade e inovação da marca. E tudo foi muito bem elaborado desde o início, com um designer contratado para desenvolver o trabalho.

marca Apple criada

A ideia de usar a maçã partiu de Steve Jobs, em referência a Isaac Newton e o episódio da maçã que caiu da árvore e inspirou seus estudos sobre a Gravidade, associando a fruta ao conhecimento científico, mas também podemos pensar no lado bíblico, da sedução da maçã (Adão e Eva), em referência a obsessão pela elegância e design dos produtos, que nitidamente seduzem o consumidor. Um designer foi contratado para desenvolver o símbolo e foi acrescentada então a mordida, simbolizando a aquisição de conhecimento, ou ter sido seduzido (cair na tentação bíblica). E ainda um jogo de palavras: mordida é bite em inglês, como bit ou byte da computação. Seu desenho clean, moderno, traz harmonia, as linhas geométricas e a simetria da forma demonstram a precisão técnica. O nome da empresa – Apple, passou a ser secundário, já que o símbolo era a figura representativa do próprio nome, e foi definida uma fonte clássica e elegante para escrevê-lo. Totalmente inovador para a época. As cores da primeira marca remetem ao prisma de Newton e ao arco íris, mas numa outra ordem (demonstrando rebeldia), também demonstravam alegria, juventude e remetiam a novidade da interface Apple suportar cores. Tudo se encaixa, de maneira sutil e inteligente. A marca foi tão bem desenhada que permanece até hoje, ainda com ar moderno e muito elegante. As cores sumiram, mas a forma permanece.

Uma marca de valor requer um projeto

Este tipo de trabalho não pode ser realizado de forma impessoal, em 1 dia, sem interação entre as partes, sem um estudo, levantamento de dados, pesquisas, muitas tentativas e erros. Se você procura apenas um desenho bonito que lembre seu setor e uma fonte moderninha, realmente aconselho a não pagar muito. Mas se você entende que sua empresa merece uma marca que a represente, melhor contratar um especialista.