Design Cultural: Comunidades que possuem sua própria arte

Você sabia que por todo o mundo existem cidades que possuem uma estética bem diferente do que estamos acostumados? Seja pela pintura em paredes, construções de formatos diferentes, ou desenhos espalhados pelas casas. Este é o modo como a arte se reflete na vida dessas pessoas por uma tradição cultural.

Neste post escolhemos algumas dessas cidades e vilarejos que possuem sua própria forma de expressão de arte que traduzem costumes e crenças dessas pessoas. Vamos conhecer?

Zalipie, Polônia

Decoração e pintura colorida das casas é uma tradição secular no vilarejo de Zalipie, isolado na região sudeste da Polônia. As mulheres locais possuem o costume de pintar suas casas, não com uma única cor, mas com padrões florais que trazem vida para as construções. Esses padrões adornam as paredes externas, portas, janelas e até o teto. A vila inteira parece mergulhada em uma profusão de cores e alegria.

Zalipie-polonia

 

Uma lenda local diz que a origem dessa tradição vem de uma época em que a fumaça dos fogões sem chaminé escapavam pelos pequenos buracos nos tetos. As mulheres tentavam branquear e encobrir as pequenas manchas de fuligem nas paredes, mas isso não funcionava; então mudaram para pinturas de belas flores em seu lugar.

Zalipie_polonia

 

Os tapa-manchas já não são necessários com as cozinhas modernas, chaminés e uma melhor ventilação, mas a vila Zalipie ainda mantém a sua tradição. Ao longo do tempo, os padrões tornaram-se mais complexos e sofisticados. E agora não estão limitados apenas aos lares. Se você andar por Zalipie, logo vai encontrar currais, ranchos, galinheiros, caixas d’água, casinhas de cachorro, muros, poços e todos os outros objetos pintados à mão. Até a ponte da aldeia teve sua beleza revitalizada por essas estampas florais.

Zalipie-Polonia

 

Nos tempos antigos, as mulheres de Zalipie faziam os seus próprios pincéis usando o pelo do rabo de vacas locais e para os pigmentos era utilizada a gordura de fritura para dar corpo à tinta. Elas geralmente decoravam suas casas uma vez por ano, durante a festa de Corpus Christi, quando não tinham muito trabalho agrícola para fazer.

Zalipie-polonia

 

Hoje, a aldeia Zalipie têm uma competição anual durante a festa para celebrar a sua tradição milenar. Pintores locais, a maioria mulheres, competem para ver quem cria os arranjos florais mais intrincados nas paredes das casas, e também retocam padrões de anos anteriores.

Zalipie_polonia

 

Zalipie é bem conhecida para os poloneses, mas surpreendentemente, os turistas ainda são uma novidade no local, e são vistos com curiosidade pelos moradores.

Chefchaoen, Marrocos

Chefchaoen (ou simplesmente Chaouan) é uma cidade localizada no Marrocos, no norte do país africano, entre as montanhas do Rif. A cidade oferece um cenário que encanta turistas em busca de coloridas visões surreais: são casas, vielas, ruas e pequenos prédios totalmente pintados de azul, como um reflexo saturado do céu marroquino.

chefchaouen-marrocos

 

Tal paisagem se concentra principalmente no centro histórico de Chefchaouen, que foi fundada em 1471 e virou um tradicional refúgio para judeus europeus, que começaram a chegar à região a partir do final do século 15 (por causa da Inquisição Espanhola) e mantiveram uma presença significativa na área até meados do século 20, quando muitos se mudaram para o Estado de Israel.

Chefchaouen-cidade-azul-marrocos-

 

A cor seria uma referência ao azul que tingia objetos sagrados no Velho Testamento e serviria como uma lembrança constante do poder de Deus sobre aquele grupo de refugiados. Há outra versão que diz que eles simplesmente queriam reproduzir a visão do paraíso em sua nova morada.

chefchaouen-marrocos

Dominada atualmente pela cultura berbere-muçulmana, Chaouen, como é chamada pelos locais, mantém sua paisagem tradicional até hoje. O azul onipresente é uma atração para viajantes do mundo inteiro!

Tiébélé, Burkina Faso

No vilarejo de Tiébélé, localizado no país africano de Burkina Faso, os moradores têm o costume de dar um ar artístico às suas casas.

Casas-pintadas-aldeia-Tiebele

 

Tiébélé possui aproximadamente 1,2 hectares e é o lar dos Kassena, um dos grupos étnicos mais antigos da região, que se estabeleceram no território de Burkina Faso no século 15. Tiébélé é conhecida pela incrível arquitetura tradicional Gourounsi e as elaboradas paredes decoradas de suas casas.

Casas-pintadas-aldeia-Tiebele

A decoração das paredes é realizada pelas mulheres do povoado e é uma prática que data do século 16. Elas se juntam para reforçar o exterior das casas e aproveitam para criar os desenhos. A “tinta” é obtida pela mistura de barro e pedras esmagadas de diferentes colorações.

Os habitantes constroem suas casas com terra, madeira e palha. As paredes têm a grossura de um pé (cerca de 30 cm) e as casas são desenhadas sem janelas, com exceção de uma pequena abertura ou duas para permitir que entre luz suficiente. Os tetos estão guarnecidos por escadas de madeira e as portas dianteiras são de tamanhos variados.

tiebele

Após a construção, as mulheres fazem os murais em cada uma das paredes. Os motivos e símbolos são reflexos da vida cotidiana, da religião e das crenças. Ao terminar com a decoração, a parede é cuidadosamente polida com pedras, e ao final, toda a superfície é coberta com um verniz natural.

Tiebele

Os desenhos também servem para proteger as paredes; a decoração é feita geralmente justo antes da temporada de chuvas e protege às paredes da umidade.

Algumas das construções decoradas não são casas, mas sim mausoléus construídos para sepultar os mortos.

É um lugar muito difícil de se visitar pois o povo Kassena deseja permanecer isolado de influências externas e preservar seus próprios edifícios e tradições. Eles acreditam que a modernidade é uma ameaça à sua cultura e, por isso, preferem evitar visitantes. É preciso um longo processo de negociações para ser admitido na aldeia.

Repare nas cores a sua volta!

Esses foram 3 diferentes exemplos de como o design cultural está presente na vida de diversos povoados e cidades espalhados pelo mundo. Culturas diferentes que são refletidas na estética desses lugares, o que mostra que cada povo percebe, comunica e vive as cores e formas de jeitos diferentes. Não é uma questão de ser bonito ou feio, para a maioria desses povos a representação dos desenhos com cores reflete toda uma tradição e história dessas pessoas. Uma questão bem bacana para ficarmos atentos nas próximas vezes que repararmos como algum vilarejo ou cidade se comporta através da estética de suas construções e adornos.